Notícias

Sistema de ozônio da O3R será utilizado no maior complexo de peixes amazônicos do Brasil

Águas, Alimentos, Cases de Sucesso, Diversos

Controle de carga microbiana e oxidação de material orgânico são objetivos da tecnologia.

A piscicultura é um investimento promissor, com mercado garantido e boa margem de lucratividade. A produção de peixes é uma cadeia produtiva de valor agregado e no Brasil, o estado do Acre está apostando alto.

O complexo industrial Peixes da Amazônia S/A, localizado em Rio Branco (AC) é um frigorífico capaz de exportar peixe para qualquer mercado do mundo, incluindo os europeus mais exigentes. Somam-se à estrutura do complexo uma moderna fábrica de ração e um laboratório de alevinagem. No Complexo há possibilidade de que o centro de alevinagem produza cerca de 10 milhões de alevinos de surubim, matrinchã e pirarucu por safra, todos peixes da biodiversidade amazônica.

Peixes da Amazônia usará tecnologia de ozônio

Peixes da Amazônia S/A (Fonte: divulgação internet)

A qualidade de água é fundamental para a piscicultura,  pois em sistemas de confinamento, os peixes não têm condições de buscar no ambiente  locais com melhor qualidade de água, que é agravada pelo adensamento da população. Dessa forma, manter a qualidade da água é condição essencial para não colocar em risco a produção de peixes.

Além de outras técnicas convencionais, o complexo Peixes da Amazônia S/A utilizará o ozônio como parte do tratamento da água.

O uso do ozônio no tratamento da água dos tanques de psicultura tem o objetivo de oxidar material orgânico gerado pelos peixes e controlar a carga microbiana.

Na psicultura, o ozônio apresenta as seguintes vantagens:

  • não deixa resíduos: o ozônio dissolvido na água decompõe-se rapidamente a oxigênio, que é uma grande vantagem para a produção de peixes;
  • o ozônio torna a água mais límpida e transparente;
  • converte nitritos em nitratos, devido a capacidade oxidante;
  • o ozônio tem a capacidade de oxidar subprodutos tóxicos oriundos do metabolismo da biomassa existente nos tanques;
  • ajuda a manter o pH da água: devido todas as ações já mencionadas, o ozônio auxilia o controle do pH;
  • controle da carga microbiana;

Por ser um forte oxidante, é muito importante saber a dose de ozônio que se utiliza na água de piscicultura. Uma dose excessiva pode prejudicar a vida dos peixes, bem como uma dose muito baixa não tem efetividade, portanto é preciso ter controles adequados.

O sistema de ozônio projetado pela O3R para a Peixes da Amazônia S/A tem capacidade de produção de até 250 g O3/hora. O sistema possui sistema de tratamento de ar e ajuste eletrônico de produção e de fluxo. Conta também com sistema de controle de geração automático de ozônio por ORP, um controle para cada unidade de geração de O3, que será destinado a diferentes tanques de produção de peixes. No display touch screen do equipamento, pode-se ajustar os parâmetros e controlar o status de funcionamento do equipamento.

Gerador de Ozonio O3R

Gerador de Ozônio O3R 250 g O3/h

Display Touch Screen Gerador de Ozônio O3R

Deixe um comentário:

  1. Muito interessante este sistema de tratamento do ambiente dos peixes,pois fornece oxigêniio puro e natural pois o ozônio libera uma molécula de oxigêni
    o nascente muito importante para a sapude do ser
    vivo,tornando-os mais saudaveis.

    Por Nilton Minervini - 15 de julho de 2014
  2. Esse sistema é a salvação do mundo. Só no Brasil não se enxerga isso. Os capitais(recursos financeiros)resultantes da química selvagem de algumas multinacionais, são bem mais atraentes.

    Por Marco BONILHA - 15 de julho de 2014