Notícias

Aproveitamento de água da chuva com ozônio

Águas, Cases de Sucesso

Uso inteligente de recurso finito com insumo renovável: o residencial Costa Rica é mais um case de sucesso com ozônio da O3R.

Nossa intenção aqui neste espaço é mostrar como funciona na prática um sistema de aproveitamento da água da chuva com ozônio. O residencial Costa Rica, situado em Itajaí-SC, construção administrada pela Compremat, é mais um case de sucesso da O3R: o edifício é inovador e possui sistema de captação de água da chuva  e tratamento com ozônio.

E como funciona? Inicialmente, a água da chuva é captada no telhado do edifício e passa por um sistema de filtração centrífuga para retirada de sólidos.  A primeira água coletada é rejeitada (“água de lavagem”), através de  um sistema automático de drenagem. A segunda água segue para armazenamento em reservatórios de acumulação. Estes reservatórios podem ser superficiais, enterrados ou elevados. Neste projeto os reservatórios estão localizados no pavimento térreo, embaixo das rampas da garagem.

A água armazenada é tratada com ozônio, que mantém a água dos reservatórios desinfetada, livre de cor, odores e microrganismos. O ozônio é injetado automaticamente, e o controle da produção de ozônio é feito por ORP, um diferencial dos sistemas da O3R. Desta forma, dependendo do volume de água e do fluxo de utilização, a dose ajustada de ozônio é gerada automaticamente. Para os períodos de estiagem, um sistema automático alimenta os reservatórios com água potável da rede de abastecimento municipal.

Para utilização desta água, o sistema envia a água tratada com ozônio para a caixa de distribuição, localizada no topo do edifício. O prédio conta com prumadas específicas, sendo que por determinações legais, a água é utilizada nos vasos sanitários, tanque de lavar roupa e máquina de lavar.

O dimensionamento do sistema de aproveitamento de água de chuva depende de uma série de fatores, tais como: índice pluviométrico da região, finalidade da utilização (limpeza de pátios, lavanderia, descargas sanitárias, rega de jardins e/ou hortas, etc.), dimensão da área coletora, disponibilidade de espaço e demanda técnica para instalação ou construção de cisternas. Nesta instalação, a média de captação na região é de 80 m3 por mês. O sistema segue a Norma Técnica Brasileira – ABNT/NBR 15.527/ 2007 para aproveitamento de águas pluviais.

Além de diminuir o consumo de água e gerar economia para o planeta, a captação de água da chuva reduz o escoamento superficial da água, prevenindo assim a sobrecarga das redes municipais e a ocorrência de enchentes, muito comum na região do edifício. O sistema de ozônio é um diferencial, pois mantém a água desinfetada sem adição de produtos químicos, um sistema sustentável já que o insumo de produção é o ar. O benefício para o meio-ambiente, por sua vez, é incalculável, reduzindo a demanda por água dos mananciais já sobrecarregados, e preservando esse bem de valor inestimável.

Fachada do Ed. Costa Rica

Esquema sistema ozônio para aproveitamento de água da chuva

Deixe um comentário: