PortuguêsEnglishEspañol

Notícias

Aplicação da mistura médica de ozônio-oxigênio é tão efetiva quanto Cirurgia para Dor nas Costas

Dor, Ozônio em Medicina

A mistura de gás medicinal oxigênio e ozônio,   injetada em  hérnia de disco,  pode aliviar dores nas costas sem os riscos de uma  cirurgia, relatam investigadores.

As melhorias foram bem acima dos limiares de significância clínica e comparável à discectomia cirúrgica, relataram Dr. Kieran J. Murphy e colegas, da Universidade de Toronto.

Na meta-análise realizada pelo grupo, 79,7% dos pacientes que utilizaram ozônio melhoraram pelo menos uma categoria na escala de dor McNab.   O tratamento experimental, parece ser uma maneira mais delicada de retirar a pressão sobre os nervos comprimidos pelo abaulamento do disco, relatou  Dr. Murphy.

O tratamento pode ser uma opção antes de realizar um procedimento cirúrgico, relatou Dr. Murphy.

Embora o Dr. Murphy  tenha recentemente inventado um dispositivo para fornecer uma dose consistente da mistura oxigênio-ozônio,  pesquisadores italianos são  pioneiros desta técnica.

Inicialmente Dr. Murphy teve dificuldades de acreditar nos resultados dos pesquisadores europeus e começou a investigar por si próprio. Em suínos, as experiências do seu grupo mostraram que o músculo não foi afetado por qualquer nível de ozônio, enquanto que a em baixas concentrações, a injeção de oxigênio parece ser ideal, tanto para os níveis de citocinas quanto para efeitos sobre o volume de disco.

Pesquisa em células de ovário de hamster chineses confirmaram que o ozônio, não o oxigênio, quebrou proteínas encontradas no núcleo pulposo do disco.

Para determinar o efeito do ozônio sobre a coluna de humanos, o grupo revisou a literatura e reuniram dados de 12 estudos com um total de mais de 8.000 pacientes que haviam sido tratados com ozônio para a dor nas costas em vários centros europeus. A média de melhora – com os resultados ponderados de acordo com a qualidade do estudo – foi de 3,9 a 10 cm de Escala Analógica Visual de dor (95% CI 3,2-4,5) e 25,7 no  Oswestry Disability Index (95% IC 18,8 a 32,6).

O procedimento foi “extremamente seguro”, acrescentou o Dr. Murphy. O risco de complicações com a injeção de ozônio foi de 0,003% (95% intervalo de confiança 0,000% a 0,024%), muito inferior à discectomia cirúrgica, disse ele. Nenhuma complicação grave foi relatada.

“Além disso, o tempo de recuperação é significativamente mais curto para a injeção de ozônio/oxigênio do que para a discectomia,” acrescentou. Dr. Murphy. “A melhora estimada na  dor  é impressionante à luz dos critérios gerais de inclusão dos pacientes. Foram incluídos pacientes com idade variando de 13 a 94 anos,  com todos os tipos de hérnias de disco”, disse ele.

Estes resultados promissores têm de ser confirmados nos EUA, comentou o presidente Sir Brian Stainken,  do Roger Williams Hospital, em Providence, RI.  “As soluções que temos lá fora, para isso não são muito boas”, disse ele moderado na conferência à  imprensa. “Nós precisamos terapias minimamente invasiva terapias “.

Dr. Murphy disse que seu grupo está negociando com o FDA sobre um Trial na América em humanos, que ele espera  começar nos próximos seis meses.

Fontes:

Society of Interventional Radiology. Source reference: Steppan J, et al “A meta-analysis of the effectiveness and safety of ozone treatments for herniated lumbar discs” SIR 2009; Abstract 37.

Society of Interventional Radiology. Source reference:Steppan J, et al “Ozone’s mechanisms of action for relieving pain associated with herniated intervertebral discs” SIR 2009; Abstract 38.

Pontos de Observação:
O uso de ozônio ainda  não é aprovado pelo FDA para o tratamento de dor nas costas e outros estudos são necessários para confirmar sua eficácia.

Matéria original  publicada no MEDPAGE TODAY, SAN DIEGO, 11 de março 2009.

Deixe um comentário: