Notícias

Alimentos do Futuro: saudáveis e com menos aditivos

Alimentos

Ozônio é tecnologia de ponta  em congresso internacional de alimentos.

O homem moderno ingere em sua vida  uma quantidade incrível de produtos químicos, com sabores artificiais e aditivos. Embora haja uma crescente conscientização sobre alimentação saudável, também há muita desinformação. O consumo destes químicos, provavelmente não irá causar um efeito imediato e visível, mas as consequências após muitos anos de ingestão dessas substâncias podem ser muito maléficas à saúde.

Recentemente aconteceu no Brasil o congresso internacional sobre processamento não térmico de alimentos, Nonthermal Food Processing Workshop 2013. O foco são tecnologias de ponta para produzir e conservar alimentos, muitas pouco adotadas aqui. Entre as soluções estão alta pressão hidrostática, ozônio, irradiação e dióxido de carbono supercrítico. Durante o congresso, o professor Gustavo Barbosa-Cánovas, que atua na Washington State University (EUA), disse que os consumidores desejam alimentos saudáveis com sabor e características preservadas, com menos aditivos, e seguros. Não há rejeição do consumidor a novas tecnologias que melhoram os alimentos.

A escolha da tecnologia de conservação mais adequada deve considerar o tipo e natureza do alimento, o processamento tecnológico a  ser empregado, assim como o objetivo da elaboração do produto final.

A tecnologia de ozônio é um grande aliado na indústria de alimentos. Com o objetivo de conservar os alimentos, o ozônio pode ser utilizado na forma gasosa em câmaras frigoríficas e depósitos de alimentos, protegendo e conservando os produtos armazenados. Como a maioria das perdas decorrentes da manipulação excessiva ocorre por ação de bactérias, fungos e infestações por insetos, a injeção direta de gás ozônio em depósitos mantém o ambiente limpo e desinfetado, mesmo quando há altos índices de calor e umidade, o que assegura maior tempo de validade comercial dos alimentos. Outra importante ação é a degradação de aflatoxinas, tema já tratado aqui anteriormente.

Na forma de água ozonizada, a ação do gás é de grande valia para desinfecção. Quando comparado ao cloro, o ozônio é um potente sanitizante, que se decompõe rapidamente e não forma alguns dos subprodutos formados pela cloração como os trialometanos. O ozônio tem sido utilizado e recomendado para aumentar a validade comercial de pescado, lavagem de carcaças de carne de frango e produtos cárneos, desinfecção e conservação de frutas, entre outros.

A utilização de técnicas modernas com os métodos tradicionais de conservação, promovem a obtenção de um alimento de melhor qualidade e maior validade comercial, minimizando os efeitos bioquímicos indesejáveis.

Link do congresso: Nonthermal Food Processing Workshop 2013

Deixe um comentário: